6 brincadeiras infantis do Nordeste e do Sudeste.

Fonte: blog Como Educar Seus Filhos

Imagem: Pixabay

Se seu repertório de brincadeiras já está se esgotando, e as crianças estão desesperadas por fazer alguma

coisa diferente quando estão a toa , conheça algumas das brincadeiras mais divertidas realizadas nas regiões

Nordeste e Sudeste do Brasil e ensine-as à criançada.

 

DO NORDESTE

 

1- Sete Pecados

Faixa etária: Acima dos 6 anos

 

- Essa brincadeira requer agilidade e coordenação motora de seus praticantes.

- Quanto mais crianças melhor! Tudo o que se precisa é de uma bola.

- Reúna os pequenos em círculo. Uma criança fica responsável pela bola.

- Então, ela joga a bola para cima, enquanto diz o nome de um dos jogadores.

 

- Quem tiver seu nome anunciado deve correr para pegar a bola antes que ela caia no chão.

- Enquanto isso, as outras crianças se espalham.

- Assim que a criança nomeada pegar a bola, ela deve mandar as outras pararem.

- Então, ela dá sete passos em direção ao jogador mais próximo e joga a bola nele.

 

- Quem for acertado deve, imediatamente, jogar a bola na direção de outra criança antes

  que todas entrem no círculo e recomecem a brincadeira.

- A criança que foi acertada sete vezes, ou seja, aquela que “tiver sete pecados”, terá de pagar uma “prenda”.

 

2- Passarás

Faixa etária: Acima de 4 anos

 

- Duas crianças devem escolher, cada uma, a fruta de sua preferência.

- Então, ficam frente a frente, dão as mãos e erguem os braços, como se fizessem uma cabaninha.

- Em fila e cantando a parlenda Passarás, os demais participantes passam por debaixo dos braços da dupla.

- No momento em que a música termina, a dupla prende com os braços a criança que estiver passando.

- Baixinho elas devem perguntar, entre as opções já escolhidas, de qual fruta o participante

  gosta mais – por exemplo: “Você prefere uva ou banana?”.  

- Conforme a resposta, o participante vai para trás da criança que representa a fruta escolhida.

- O jogo termina com quem tiver mais crianças atrás de si, revelando qual é a fruta preferida da maioria.

 

Acompanhe uma das versões da parlenda Passarás:

A bandeira há de ficar

Se não for o da frente

Pode ser o de trás.

Tenho dois filhos pequeninos

Não posso mais demorar.

Demorar, demorar

Passarás, passarás.

A bandeira há de ficar

Se não for o da frente

Pode ser o de trás…

 

3- Trem Maluco

Faixa etária: Acima de 4 anos

 

- O Trem Maluco é uma das brincadeiras que as crianças em Pernambuco adoram.

- Em dupla, embaladas pelo ritmo da parlenda, as crianças devem fazer movimentos sincronizados com as mãos.

- A cada verso as mãos se alternam: uma mão vai para baixo, enquanto a outra vai para cima.

- Em seguida, uma criança estende a mão para a frente, enquanto o seu parceiro bate as palmas sobre elas.

- Então, a dupla bate palma sempre no ritmo da música.

- Para tornar a brincadeira ainda mais dinâmica, estimule os pequenos a cantarem mais rápido e,       

  consequentemente, a agilizarem seus gestos também.

 

Uma variação da brincadeira é recitar a parlenda em roda ou formando um trenzinho,

com uma criança atrás da outra.

O trem maluco

Quando sai de Pernambuco

Vai fazendo xique-xique

Até chegar no Ceará.

Rebola pai, rebola mãe, rebola filha (põe a mão na cintura e rebola),

Eu também sou da família,

Também quero rebolar .

Um pouquinho de coca-cola, (dedão de cada mão na direção da boca)

Um pouquinho de guaraná.

A danada da professora me ensinou o bê-a-bá.

Sete e sete são catorze

Com mais sete, 21.

Tenho sete namorados

Não me caso com nenhum.

Só me caso com aquele

Que me der um jerimum

Mum-mum (dá uma batidinha na cabeça do colega).

 

DO SUDESTE

 

Briga de Galo

Faixa etária: Acima de 5 anos

 

- Para essa brincadeira você irá precisar de duas tiras de tecido de cores diferentes (pode ser algo mais barato como TNT).

- Joga-se em dupla, mas é muito mais divertido reunir um grupo de amigos para ficar na torcida.

- A brincadeira começa colocando duas crianças frente a frente dentro de um círculo de 3 ou 4 metros de diâmetro. - Peça para elas fecharem os olhos. Agora, fixe com fita crepe uma tira de tecido nas costas de cada uma.

- Depois, peça para abrirem os olhos e colocarem os braços para trás.

- Vence o jogo quem descobrir primeiro a cor do tecido que está fixado nas costas do adversário; para tanto, não 

  poderá usar as mãos nem sair do círculo.

 

Rouba-bandeira

Faixa etária: acima dos 7 anos

 

- Para essa brincadeira, quanto maior e mais estreito o espaço, mais competitivo o jogo fica.

- Divida a área em dois campos. No fundo de cada espaço, faça um círculo e coloque um pedaço de tecido

  para ser a bandeira de cada time.

- Divididos em dois grupos, é preciso traçar uma estratégia para atravessar o campo do adversário e roubar sua

  bandeira sem ser pego.

- Quem é pego pelo integrante do time adversário deve ficar congelado no território do inimigo e só voltará a se

  mover quando alguém de sua equipe o tocar.

- Ganha o time que primeiro pegar a bandeirinha do time adversário!

 

Amarelinha em caracol

Faixa etária: Acima de 6 anos

 

- Brincar de amarelinha é bom demais da conta!

- Em Minas Gerais, a criançada encontrou um jeito de tornar a brincadeira ainda mais dinâmica e desafiadora.

- Com giz na mão, desenhe uma amarelinha no chão em forma de caracol.

- Reúna os participantes em fila, cada um com sua pedrinha.

- O primeiro da fila deve jogar a pedra na casa de número um.

- Então, a criança deve pular essa casa com um pé só, indo para a casa dois.

- A criança deve pular todas as demais casas saltando com o mesmo pé.

- Ao chegar ao final da amarelinha, no centro do desenho, colocam-se os dois pés no chão.

- Dá-se meia volta, então, novamente, pula-se com apenas um pé, fazendo a volta do percurso.

- O mesmo processo deve ser repetido com os demais jogadores que estiverem na fila.

- Na segunda rodada da brincadeira, cada participante joga a pedra na casa dois e assim por diante.

- O participante é eliminado nas seguintes situações: se pisar na linha ou na casinha em que a pedra está;

  se jogar a pedra no número errado ou se pisar com os dois pés em uma casa.

- O jogo só termina quando restar apenas uma criança na brincadeira.

Quer saber mais? Fale com Silvana Perez, Pedagoga,

Psicopedagoga e Mestre em Educação.

EspacoSER_Logo_Base circular1.png