Buscar
  • Maria Antonia Novicov de Andrade

O poder da resiliência do professor no período de confinamento.




Autora: Maria Antonia Novicov de Andrade


Quando o confinamento começou, o professor foi colocado em xeque. Todo o domínio e controle que ele tinha em sala de aula foi questionado e isto trouxe insegurança para a grande maioria na sua atuação.


Por que em xeque? Porque a forma de ensinar mudou radicalmente, pois as aulas de um dia para o outro passaram a ser remotas.


O fato da sala de aula ter saído das 4 paredes de dentro da escola rompeu o véu da “minha sala de aula”, “meus alunos”, “minha escola”, para dentro do seio familiar, no quarto dos alunos, na sala de jantar, no escritório, até com outros espectadores, apoiadores ou não.


É bom que o professor reconheça seu poder para assumir a sua identidade no ensino remoto. Ele não perdeu a alteridade e nem a autoridade, pois é ele que está no comando do ensino, é ele que fideliza, é ele que sente a ausência dos alunos por trás das câmeras, é ele que busca estratégias diferentes todos os dias para se conectar com o aluno, é o professor que responde e corresponde às exigências da escola e dos pais, priorizando sempre a necessidade do aluno.


Os professores tiveram que buscar especializações para se aprimorarem e atenderem as atuais necessidades dos alunos, não só cognitivamente, bem como passaram a se preocupar mais com o estado emocional deles, utilizando diferentes ferramentas tecnológicas para acessá-los de maneira sistêmica.


O professor precisa reconhecer e se apropriar do quanto fez, caminhou e deu conta do recado, e ainda assim continua se aprimorando.


Nasceu um novo professor e é real, não é o professor idealizado que constava nas literaturas acadêmicas.

O professor teve que se adaptar rapidamente à tecnologia, e cruzou espaços físicos e do tempo para ensinar seus alunos, mesmo que remotamente, e atingir seus objetivos. O amor pelo que faz, que é o ensinar, o motiva para se superar todos os dias.


A resiliência é a natureza do professor. Não importa a escola, as condições, o padrão social, os problemas que envolvem a sala de aula. O objetivo dele é ensinar. Mesmo diante do maior desafio dos últimos tempos o professor se reinventou e surpreendeu.


Ver os olhos brilhando de um professor que resgatou um aluno desmotivado, que conseguiu pela sua sensibilidade ser assertivo nas intervenções, se emocionar com as conquistas de cada aluno é revigorante.


É isto que faz com que eu acredite mais e mais que o amor do professor pelo que faz é transformador e realiza verdadeiros milagres.





16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo