Buscar
  • Afinando o Cérebro

Qual é o papel das habilidades auditivas na alfabetização?


Fonte: Afinando Cérebro


A alfabetização é um dos principais pilares para o pleno desenvolvimento das crianças durante a infância. Embora pareça um passe de mágica aprender a ler e escrever, esse processo é bastante complexo e vai muito além de conhecer e decodificar as letras.

Já nos primeiros anos de vida, antes mesmo de dar início ao processo de alfabetização, as crianças começam a desenvolver as habilidades auditivas que serão essenciais para a aquisição de linguagem e posteriormente para aprender a ler e escrever. O processamento auditivo central compreende mecanismos que formam as habilidades auditivas, responsáveis por um conjunto de processos que vão da detecção à interpretação das informações sonoras.

As habilidades auditivas são governadas pelos centros auditivos do tronco cerebral e do cérebro. São elas que nos permitem uma comunicação eficiente para que consigamos prestar atenção, discriminar, organizar, associar, integrar e armazenar o que ouvimos, para então compreendermos o significado das mensagens corretamente.

Como as habilidades auditivas podem interferir na alfabetização?

A aprendizagem da leitura e escrita depende da interligação de diferentes áreas cerebrais, que irão processar informações auditivas e visuais para se conectar às áreas da linguagem e de memórias sensoriais. Assim, primeiro a criança precisa compreender os sons das palavras, analisando as mínimas partes que as constituem (fonemas) para, em seguida, associá-los às letras. Por isso, a informação auditiva é fundamental para o processo de aprendizagem.

E não basta ouvir bem, é importante que a criança processe os sons adequadamente e consiga perceber a diferença dos sons em relação a quantidade, tom, duração e intensidade. Por isso, os primeiros anos de vida são considerados importantes para o desenvolvimento das habilidades auditivas, pois é nesse período que acontece a maturação do sistema nervoso, com maior crescimento cerebral e formação de novas conexões neuronais.

Assim, quando existe alguma alteração na aquisição das habilidades auditivas, o processo de alfabetização pode ser prejudicado, principalmente ao considerarmos que o ambiente de aprendizagem, como uma sala de aula, está relacionado a ruídos e durante esse processo a criança precisa desenvolver habilidades metalinguísticas, codificar e decodificar mensagens, aprimorar a consciência fonológica, realizar discriminação auditiva, memória e percepção auditivas.

Alterações nas habilidades auditivas podem levar ao Transtorno do Processamento Auditivo Central (TPAC), refletindo dificuldades no processamento perceptivo da informação auditiva no sistema nervoso central, que afetam o desempenho em uma ou mais das habilidades. Assim, pode ser mais difícil escutar em ambientes ruidosos, como na sala de aula, por exemplo. As dificuldades apresentadas podem estar associadas ou não a problemas de atenção e memória, principalmente quando a criança se encontra em idade escolar, levando em muitos casos ao insucesso no processo de aprendizagem.

É possível estimular as habilidades auditivas?

Sim!


As habilidades auditivas podem ser aprimoradas com treinamento e há diversas maneiras de estimulá-las. Aposte em brincadeiras auditivas, ou seja, em atividades que desafiem os ouvidos das crianças, estimulando suas habilidades. Ao contar histórias para uma criança, por exemplo, você está ajudando a desenvolver sua linguagem. Assim, a leitura pode ser a porta de entrada para as brincadeiras auditivas, principalmente quando há variação da entonação, imitação de sons dos animais, da chuva, da água tornando a história lida uma verdadeira experiência para a criança.



0 visualização0 comentário